Concordância verbal e nominal

Este material serve para o estudo da concordância verbo-nominal, assunto que costuma gerar muitas dúvidas e “dar nós” na cabeça do aluno, pela quantidade de regras existentes.

A explanação parte da observação de imagens de placas e anúncios, trazidas pelo professor e também pelos alunos. Uma sugestão é sair com a turma para um passeio na cidade e fotografar as placas interessantes, selecionando algumas para serem apresentadas em slides.

No decorrer, o professor medeia a análise dos enunciados.

Imagem8

Além dos erros ortográficos, a placa mostra uma falha na concordância, visto que há mais de um produto sendo anunciado. O verbo, acompanhado pela partícula apassivadora se, deve concordar com o sujeito e, assim, a maneira correta seria: Vendem-se…

O mesmo problema ocorreu nesta outra placa:

Placa5

Pobres cachorrinhos…

Placas Engraçadas 460a

 

Alguém aí conseguiu decifrar?
cavalo-vende-se

Isto é o que se pode chamar de uma “placa viva”! Além do anúncio ser “criativo”, está escrito corretamente, já que se trata de apenas um cavalo.

Imagem2

Tudo certo!    \o/

Para não confundir a partícula apassivadora com o índice de indeterminação do sujeito (exemplo abaixo), basta transformar a frase para a voz passiva analítica: Vende-se esta casa = Esta casa é vendida ou Vendem-se bicicletas = Bicicletas são vendidas.

Desse modo, fica explícito o sujeito nas orações e, conforme a regra geral, deve ser feita a concordância.

Imagem9

Neste caso, não há problemas na concordância, pois o verbo com índice de indeterminação do sujeito (se) permanece no singular. Como o sujeito é indeterminado, a expressão de pedreiro é apenas objeto indireto.

Qual das duas está correta? Acertou quem respondeu que é a primeira. A expressão proibido só varia se o sujeito vier antecedido de artigo ou outra palavra que o determine.

Vamos à síntese das regras:

  

Concordância Nominal 

 

REGRA GERAL: o artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome concordam em gênero e número com o substantivo a que se referem. 
Os nossos dois melhores livros são de ficção científica. 

 

CASOS ESPECIAIS:

1- Quando o adjetivo se refere a dois ou mais substantivos e vem DEPOIS dele, há duas construções possíveis:

a) O adjetivo concorda com o mais próximo:

Aquele foi um beijo e um abraço demorado.

b) O adjetivo vai para o plural (em caso de gêneros diferentes, prevalece o masculino):

Aquele foi um beijo e um abraço demorados.

A comissão declarou o rapaz e a moça aprovados.

 

2- Quando o adjetivo está ANTES, deve concordar com o mais próximo:

Você escolheu bom lugar e hora para o espetáculo.

 

3- Quando dois ou mais adjetivos referem-se a um substantivo, temos:

a) Substantivo no singular, com artigo antes do adjetivo.

Estudei a literatura brasileira e a inglesa.

b) Substantivo no plural, sem artigo antes do adjetivo.

Estudei as línguas inglesa e francesa.

 

4- ANEXO/ OBRIGADO/ INCLUSO/ MESMO/ PRÓPRIO/ QUITE:

Concordam com o nome a que se referem.

Os livros seguem anexos.

Ela mesma respondeu: obrigada.

Vão inclusas as minhas fotografias.

Elas próprias resolveram o exercício.

 

5- MENOS/ ALERTA:

São invariáveis.

Rapazes, estejam alerta! 

Havia menos meninas que meninos na sala.

 

6- MEIO/ BASTANTE/ CARO/ BARATO/ MUITO/ POUCO:

Quando funcionam como ADVÉRBIO, são invariáveis.

Ela ficou meio triste.

Eles estavam bastante eufóricos.

Estas atrizes são muito conhecidas. 

As blusas custaram caro/barato.

 

Quando funcionam como ADJETIVO, são variáveis.

Tomou meia garrafa de água.

As mercadorias eram caras.

Bastantes pessoas foram visitá-lo.

Faltam muitas crianças.

 

7- É BOM/ É NECESSÁRIO/ É PROIBIDO:

Só variam se o sujeito vier antecedido de artigo ou outra palavra que o determine.

Laranja é bom para a saúde. 

A laranja é boa para a saúde. 

É necessário paciência.

 

Concordância Verbal 

 

REGRA GERAL: o verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.

O casamento do príncipe e da princesa realizou-se com muito luxo. 

 

CASOS ESPECIAIS:

1- SUJEITO COMPOSTO

a) Anteposto ao verbo: o verbo vai para o plural.

A mãe e o filho seguem sua marcha.

b) Posposto ao verbo: o verbo concorda com o sujeito ou fica no singular.

Já chegaram a Curitiba o Presidente e sua comitiva.

c) Núcleos sinônimos: o verbo pode ir para o plural ou ficar no singular.

A coragem e o destemor caracteriza(m) teu comportamento.

d) Pessoas gramaticais diferentes: o verbo fica no plural, seguindo o pronome que prevalece.

Tu e ele partireis juntos. = 2ª pessoa pl.

Você e meu irmão não me compreendem. = 3ª pl.

Eu e meu colega fizemos a prova. = 1ª pessoa pl.

e) Expressões resumitivas (TUDO, NADA, NINGUÉM…): o verbo fica no singular.

Jogos, espetáculos, viagens, diversões, nada podia satisfazê-lo.

 

2- NÚCLEOS DO SUJEITO UNIDOS POR OU 

a) Se indicar exclusão ou retificação, o verbo concordará com o núcleo mais próximo.

Paulo ou Antônio será o líder da turma.

Os autores ou o autor do crime ainda não foi encontrado.

b) O verbo irá para o plural, se a ideia por ele expressa se refere a todos os sujeitos.

Era tão pequena a cidade, que um grito ou gargalhada forte a atravessavam de ponta a ponta.

 

3- NÚCLEOS DO SUJEITO UNIDOS POR COM

Usa-se o verbo no plural.

Ele com mais dois vinham de uniforme.

 

4- NÚCLEOS DO SUJEITO UNIDOS POR NEM

Usa-se o verbo no plural. Entretanto, se estiver antes do sujeito, permanece no singular.

Nem a riqueza nem o poder o livraram de seus inimigos.

Não se recusa trabalho, nem dinheiro, nem alimento.

 

5- NÚCLEOS NO INFINITIVO

O verbo concorda no plural se os infinitivos forem determinados e, no singular, se genéricos.

O comer e o beber são necessários.

Já sabia que trabalhar e estudar é difícil.

 

6- SUJEITO COLETIVO

O verbo concorda no singular.

A multidão levantou-se contra os governantes. 

 

7- A MAIOR PARTE DE/ GRANDE NÚMERO DE

O verbo pode ir para o plural ou para o singular.  

A maioria das pessoas trabalha(m).

 

8- ALGUM DE NÓS?/ QUAIS DE VÓS?

O verbo concorda com o primeiro ou com o segundo pronome.

Quais de vós saíram?

Quais de vós saístes?

Se interrogativo ou o indefinido estiverem no singular, o verbo permanece na 3ª pessoa do singular:

Algum de nós será aprovado?

 

9- MAIS DE UM/ MAIS DE DOIS

O verbo deve estar no mesmo número em que estiver o numeral dessas expressões.

Mais de um aluno faltou.

Mais de dois alunos faltaram

 

10- O SUJEITO É O PRONOME RELATIVO QUE

O verbo concorda com o antecedente do pronome.

Foste tu que falaste.

Fomos nós que falamos. 

 

11- O SUJEITO É O PRONOME RELATIVO QUEM

O verbo concorda com o antecedente ou fica na 3ª pessoa do singular.

Fui eu quem prometeu.

Fui eu quem prometi. 

 

12- O SUJEITO É O PRONOME DE TRATAMENTO

Esses pronomes exigem o verbo na 3ª pessoa.

Vossa Excelência agiu com moderação.

 

13- NOMES QUE SÓ SE USAM NO PLURAL

Se o sujeito não vem precedido de artigo, o verbo fica no singular. Caso haja artigo, o verbo deve combinar em número.

Minas Gerais foi o berço da mineração.

As Minas Gerais foram o berço da mineração.

 

14- VERBOS DAR/ BATER/ SOAR

Na indicação de horas, esses verbos concordam com seu sujeito.

O relógio deu duas horas.  

O sino da igreja bateu três horas.

Mas: Deram duas horas no relógio da matriz. – adjunto adverbial

 

15- VERBO COM ÍNDICE DE INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO (SE)

O verbo fica no singular.

Precisa-se de digitadores.

Acredita-se em extraterrestres. 

 

16- VERBO COM PARTÍCULA APASSIVADORA (SE)

O verbo concorda com o sujeito da oração.

Vende-se uma casa de veraneio.

Vendem-se casas de veraneio.

 

17- VERBOS HAVER/ FAZER IMPESSOAIS

O verbo haver (no sentido de existir ou indicando tempo decorrido) e o verbo fazer (indicando tempo decorrido) devem ficar na 3ª pessoa do singular.

Havia sérios compromissos. 

Fazia dez anos que não o via.

 

18- VERBO SER

a) Nos predicados nominais, concorda com o predicativo.

Tudo são flores.

b) Quando o sujeito for o pronome interrogativo quem ou que, concorda com o pronome.

Quem são os responsáveis?

c) Quando indicar tempo, data ou distância, concordará com o primeiro numeral que aparecer.

É uma hora.

São duas horas.

É uma hora e trinta minutos.

d) Havendo pronome pessoal ou nome de pessoa, o verbo ser concorda com eles.

Nós somos os responsáveis.  

Juliana era a esperança do time.

e) O verbo ser que aparece nas expressões É MUITO, É POUCO, É SUFICIENTE, É BASTANTE, significativas de quantidade, peso, distância, fica sempre no singular.

Cem metros é muito.  

Dois reais é pouco. 

Dez quilos é suficiente.

 

Anúncios